CLÁSSICO É CLÁSSICO

30/01/2016 postado: 30/01/2016

  • Compartilhe:

Professor Betinho distribuiu as últimas orientações antes do maior clássico do futebol sergipano.

Professor Betinho distribuiu as últimas orientações antes do maior clássico do futebol sergipano.

O elenco aproveitou para treinar jogadas ensaiadas, bolas aéreas e lances de bola parada.

O elenco aproveitou para treinar jogadas ensaiadas, bolas aéreas e lances de bola parada.

Na manhã deste sábado (30), a equipe profissional do Gigante Proletário realizou um treino técnico com o professor Betinho. Logo depois da série de exercícios de aquecimento e alongamento, coordenados pelo preparador físico Carlinhos Silva, os atletas começaram o trabalho com bola.

O treinador azulino aproveitou para corrigir os últimos detalhes no meio de campo, e fazer os últimos ajustes no esquema tático. Betinho colocará o Confiança em campo com a mesma formação e escalação utilizada nos dois últimos jogos do Sergipão 2016.

“É preciso conter a euforia, mas os atletas estão confiantes, e levando em conta a evolução gradativa que a equipe tem apresentado desde os amistosos da pré-temporada, e nos primeiros jogos do Campeonato Sergipano, nós da comissão técnica esperamos um time ainda mais forte e entrosado, até mesmo em função do apelo, e da importância que tem o clássico. Os atletas têm melhorado a cada jogo no que diz respeito à condição física, técnica e na compreensão do esquema tático. Acredito que vamos, sim, realizar uma boa partida”, disse Betinho.

O técnico azulino também aproveitou para reforçar o respeito ao adversário, e que, independente do momento vivido por cada equipe, clássico é clássico, e respeitar o adversário é de suma importância.

“Ganhar um clássico logo no início da temporada é muito bom, e muito importante, mas é preciso respeitar o adversário, manter o pé no chão e a cabeça no lugar. Eu digo para os jogadores que é de suma importância sempre manter a humildade. Apesar de vivermos um bom momento, clássicos são jogos imprevisíveis nos quais tudo pode acontecer, como no Estadual do ano passado, quando vencíamos por 2 a 1, e o Sergipe conseguiu empatara partida. Vivemos isso no ano passado, e me serviu de lição. Um jogo clássico como esse, se resolve nos detalhes”, avaliou o treinador proletário.