UM PARA CADA LADO

31/01/2016 postado: 31/01/2016

  • Compartilhe:

Rafael Sandes fez grandes defesas e evitou que o adversário ,arcasse mais gols.

Rafael Sandes fez grandes defesas e evitou que o adversário ,arcasse mais gols.

O nome do jogo: decisivo, Leandro Kível evitou a derrota do Dragão.

O nome do jogo: decisivo, Leandro Kível evitou a derrota do Dragão.

Soterrado pelos companheiros após gol salvador, LK-9 comemorou com a torcida.

Soterrado pelos companheiros após gol salvador, LK-9 comemorou com a torcida.

Se tem uma frase que mais define um jogo de futebol como o que aconteceu na tarde deste domingo (31), na Arena Batistão, é a máxima “clássico é clássico”.

E toda a tradução desta frase, que é um dos conceitos máximos do futebol, foi o que se viu hoje no maior clássico do estado de Sergipe, o jogo entre Confiança e Sergipe.

O primeiro tempo começou muito brigado, e o time proletário parece ter demorado um pouco a se encontrar, o que criou espaços e oportunidades para que o adversário crescesse no jogo e levasse perigo para o time azulino em algumas ocasiões.

A marcação cerrada em cima de Danilo Bala, esperança de gols para os azulinos, acabou anulando o atacante, que não encontrou espaço para usar sua velocidade ou seus dribles desconcertantes.

E o jogo prosseguiu muito pegado, com ambas as equipes buscando o gol, até que, em função de um erro de interpretação por parte da arbitragem, o juiz marcou um pênalti a favor da equipe rubra, que abriu o placar na Arena Batistão.

Na segunda etapa da partida, as duas equipes continuaram perseguindo o gol, mas o Dragão, após uma conversa com o professor Betinho no intervalo, voltou muito mais organizado, com Leandro Kível no lugar de Warley, um meio de campo mais fluido, e jogadas mais contundentes, criadas, principalmente, pelos laterais Izaldo (esquerdo), e Caíque (direito).

E foi justamente após uma bela jogada de Caíque que o gol de empate foi marcado pelo atacante Leandro Kível, que deixou tudo igual no Batistão. A equipe azulina então cresceu na partida, e passou a levar muito perigo à meta rubra.

Quando parecia que o Dragão ia emplacar e virar o jogo, o zagueiro Eron, que já havia recebido um cartão amarelo, foi expulso após cometer outra falta.

Mesmo com um a menos, o Confiança ainda criou boas oportunidades e levou perigo ao gol do adversário, mas o juiz apitou o final da partida, e tudo terminou igual para os dois lados.