DE VOLTA AO TRABAHO

29/02/2016 postado: 29/02/2016

  • Compartilhe:

Atletas proletários treinaram finalizações na tarde desta segunda-feira, no Sabino Ribeiro.

Atletas proletários treinaram finalizações na tarde desta segunda-feira, no Sabino Ribeiro.

Os jogadores que inciaram a partida contra o Dorense fizeram trabalho se recuperação muscular.

Os jogadores que inciaram a partida contra o Dorense fizeram trabalho se recuperação muscular.

Depois de vencer o Dorense por 4 a 1, os atletas azulinos nem pensaram em descansar, pois com o calendário corrido, o Gigante Proletário já retorna ao gramado na próxima quarta-feira (02), às 21h45, para enfrentar novamente o Bahia, na Arena Batistão, pela quarta rodada da Copa do Nordeste.

Os atletas que iniciaram a partida contra o Dorense fizeram musculação regenerativa, seguida de um trote ao redor do campo. Na sequência, os jogadores fizeram uma sessão de hidroginástica, e depois foram submetidos ao tratamento crioterápico de recuperação muscular.

Os demais jogadores fizeram musculação na academia do clube, e depois realizaram um trabalho físico-técnico no campo do Sabino Ribeiro. “Fazemos sempre essa divisão do elenco em dois grupos nos treinos pós-jogo. Sabemos que o desgaste é grande, mas com um calendário apertado como o nosso, é preciso recuperar os atletas sem que eles deixem de ficar em atividade, ainda mais que agora, na quarta-feira (02), já temos o segundo jogo contra o Bahia, pela Copa do Nordeste. Um jogo muito difícil, no qual a vitória é fundamental”, disse o técnico azulino.

Depois de dois revezes seguidos na competição - contra Santa Cruz e Bahia -, nos quais, mesmo jogando muito bem no primeiro tempo, o time acabou levando dois gols na segunda etapa, o Confiança depende de três vitórias consecutivas para manter acesa a chama da classificação para a segunda etapa da Copa do Nordeste.

“Isso é o que eu mais tenho falado com os jogadores, chamando a atenção deles para que mantenham a máxima concentração durante os 90 minutos de jogo, e repitam, no segundo tempo, o mesmo desempenho do primeiro. Sabemos que a torcida está chateada, e entendemos e respeitamos isso, mas vamos precisar muito da força deles, pois sem o torcedor azulino, nossa tarefa se torna bem mais difícil”, disse Betinho.