VALEU PROFESSOR

31/03/2016 postado: 31/03/2016

  • Compartilhe:

Um dia triste: técnico Betinho não mais comanda a equipe do Confiança.

Um dia triste: técnico Betinho não mais comanda a equipe do Confiança.

Em coletiva de imprensa realizada no Sabino, Betinho agradece diretoria azulina pela oportunidade.

Em coletiva de imprensa realizada no Sabino, Betinho agradece diretoria azulina pela oportunidade.

Devido ao temperamento calmo e solícito, Betinho conquistou os profissionais da imprensa esportiva sergipana.

Devido ao temperamento calmo e solícito, Betinho conquistou os profissionais da imprensa esportiva sergipana.

Sempre simpático no atendimento à torcida proletária, Betinho caiu nas graças da nação azulina.

Sempre simpático no atendimento à torcida proletária, Betinho caiu nas graças da nação azulina.

A derrota sofrida pelo Confiança diante o Boca Junior, em jogo realizado na última quarta-feira (30), no Estádio Francão, em Estância, pela segunda fase do Campeonato Sergipano, afastou o Confiança ainda mais do tão sonhado Tricampeonato Estadual, e acabou provocando a dispensa o técnico Betinho e o auxiliar Alan Dotti, após 2 anos e 20 dias no comando do Gigante Proletário.

Após ser informado sobre o seu desligamento do clube proletário, o técnico Gilberto Carlos Nascimento, ou simplesmente professor Betinho, como era carinhosamente chamado por todos, convocou uma entrevista coletiva para prestar alguns esclarecimentos sobre sua dispensa, assim como aproveitou o ensejo para falar sobre a atual conjuntura do Dragão do Bairro Industrial.

Segundo Betinho, um dos fatores que mais pesou na decisão da diretoria foi a sequência de resultados negativos na segunda fase do Campeonato Sergipano, o que gerou uma grande insatisfação na torcida, que clamava ardentemente por uma resposta imediata dos dirigentes proletários.

Outro motivo preponderante para a demissão do treinador proletário, segundo o próprio técnico, foi a insistência em continuar escalando alguns atletas, com os quais a torcida já vinha implicando desde a sua chegada ao Sabino Ribeiro.

Betinho resaltou que foi muito feliz no comando do Dragão Azul de Aracaju, e aproveitou a ocasião para agradecer à diretoria pela oportunidade, da mesma forma que também revelou ser muito grato aos atletas, aos funcionários do clube, aos torcedores, e aos profissionais da imprensa pelo carinho e respeito que sempre lhe foram dispensados.

“Foram dois anos e 20 dias de muito trabalho, mas também de muitas conquistas e alegrias. Para os padrões culturais do nosso futebol, a minha dispensa pode ser encarada como algo normal, e se deu de forma muito tranquila e amigável. Fui muito feliz aqui, e minha passagem pelo Confiança foi a melhor fase da minha vida profissional, enquanto técnico. Não tenho do que reclamar, e daqui só levarei boas recordações. Inclusive, segundo me disse o próprio presidente Luiz Roberto, saio hoje, ma deixo a portas abertas para oportunidades em um futuro próximo, ou distante. Isso - se volto ou não, algum dia, para o Confiança -, só o tempo poderá dizer, mas saio com a cabeça erguida, na certeza de ter realizado um bom trabalho”, disse Betinho.

Em dois anos e 20 dias no comando do Confiança, professor Betinho conquistou dois campeonatos Estaduais (2014 e 2015), um acesso à Série D do Campeonato Brasileiro, elevou o Dragão Azul de Aracaju à Série C e, ano passado, bateu na trave da Série B, ao chegar à fase de mata-mata da competição, perdendo o segundo jogo do acesso para o Londrina.

Dono de um temperamento brando, e da palavra amiga, Betinho sempre teve muita calma e paciência no desempenho do seu papel de treinador, tanto nas orientações dadas aos seus comandados, quanto no atendimento à imprensa, ou na atenção que sempre deu a torcedor proletário. Após comandar o Confiança em oito competições (três campeonatos estaduais, duas Copas do Brasil, duas Copas do Nordeste, um Brasileiro da Série D, e outra da Série C do Brasileirão), Betinho apresenta números invejáveis a qualquer técnico de futebol: foram 97 jogos, sendo 52 vitórias, 22 empates e 23 derrotas. Betinho parte, mas duas certezas a respeito dele permanecerão: seu legado jamais será esquecido, e ele deixará saudades. Muito obrigado por tudo, professor.