NOTA OFICIAL

03/04/2018 postado: 03/04/2018

  • Compartilhe:

Nota oficial

Um clube de futebol possui seus momentos bons e ruins. É praticamente impossível agradar a todos os torcedores e conquistar todos os títulos que se disputa. Em quatro anos de Confiança sei que tenho mais do que me orgulhar do que me lamentar. Quando cheguei em 2014 como vice-presidente financeiro conquistamos o estadual e o acesso para a Série C do Brasileirão. O time foi bicampeão estadual em 2015 e fez uma boa Série C quase chegando à Série B. Em 2016 não foi tão bem, mas o time lutou até a última rodada para se manter entre os 60 melhores do país. No ano passado, mais uma vez conquistamos o título estadual e entre altos e baixos na Série C, mais uma vez chegamos nas quartas de final da competição.

Este ano o time que montamos para o estadual não rendeu dentro de campo o que esperávamos e mesmo assim ficou fora da final apenas por não ter marcado o gol da vitória em Itabaiana na última rodada da fase de grupos. Para os torcedores, um grande golpe e para nós, que além de também sermos torcedores, trabalhamos com o clube e dedicamos nosso tempo, nossas vidas e até tirando dinheiro do próprio bolso, não é nenhum pouco diferente. Fora de campo, os atletas tiveram toda estrutura necessária para um time grande. Alimentação de qualidade em um bom refeitório, fisioterapia, estrutura de treino e vestiário de primeira linha. Todas as condições foram dadas com tudo o que construímos e melhoramos na nossa gestão. Em 2014, o Confiança estava na 87ª posição no ranking de clubes da CBF, hoje se encontra no 54º lugar e há cada ano vai melhorando mais. A evolução do time proletário é clara.

Ficar fora da final do estadual é um baque grande. Mas de muitos outros baques, o Confiança já se levantou e se reergueu com muito trabalho e dedicação. Não vou mentir que devido a pressão por resultados e por parte da família, passou pela minha cabeça em um momento colocar o cargo de Presidente da Associação Desportiva Confiança à disposição. Porém, pensei bastante esses dias e avaliei que o melhor a se fazer é continuar com o meu trabalho, pois os elogios são maiores que as críticas e as coisas boas que fizemos são bem maiores que as ruins que aconteceram. Vou continuar como presidente da Associação Desportiva Confiança, que está prestes a iniciar mais uma caminhada na Série C do Brasileirão rumo ao tão sonhado acesso à segunda divisão nacional. Agradeço a todos os torcedores que mandaram mensagens pedindo para que eu continue no cargo e conto com o apoio de vocês nesta caminhada. Sei que em algum lugar, meu pai, Fernando França, está observando e com a mão em meus ombros me apoiando para que o Confiança alcance sempre um patamar cada vez mais alto entre os clubes do Brasil.

Hyago França

Presidente da Associação Desportiva Confiança